Current Zoom: 100%

Login BeneficioSaude.com

Reabilitação para portadores de Alzheimer oferece autonomia e qualidade de vida

Reabilitação para portadores de Alzheimer oferece autonomia e qualidade de vida

Embora vista como sendo um sintoma natural do envelhecimento, a perda de memória após os 65 anos de idade deve ser levada a sério. Isto porque este pode ser um sintoma da doença de Alzheimer que afeta nada menos que 36 milhões de pessoas no mundo e 1,5 milhão, no Brasil.

Trata-se de uma doença progressiva causada pela deterioração dos neurônios, que representa até 70% das demências. Entre suas características principais estão problemas de memória, alterações no comportamento, como agitação, insônia e choro fácil e a perda de habilidades, como dirigir e até mesmo se vestir e cozinhar.

No entanto, o diagnóstico de Alzheimer não deve ser considerado uma sentença de morte, já que a medicina tem terapias que atuam na prevenção e na reabilitação do idoso com o objetivo de melhorar sua autonomia e qualidade de vida.

Com exercícios diversificados e especiais para cada necessidade, a fisioterapia visa a melhorar a força muscular, o equilíbrio, a capacidade respiratória, a incontinência urinária, a postura, diminuir as sensações de dores, bem como contribuir para a boa flexibilidade e a coordenação motora.

De acordo com a fisioterapeuta geriátrica Áurea Gonçalves Ferreira, a sua especialidade consegue obter resultados no tratamento de portadores do mal de Alzheimer, mas também da doença de Parkinson.

A especialista afirma que as duas doenças degenerativas podem levar o paciente ao óbito, embora o mal de Alzheimer tenha um progresso importante, de cinco a dez anos após o diagnóstico.

Mas Áurea Gonçalves destaca que, especialmente no caso do Parkinson, a morte acontece, se nada for feito para diminuir a progressão da doença e seus efeitos sobre a vida do portador. “Enquanto o Alzheimer é uma doença silenciosa, o Parkinson, que tem quatro fases, é visível a partir da primeira etapa. No caso do Alzheimer, a doença atrapalha o trabalho dos neurônios quando a pessoa busca formar um raciocínio e a cognição, pois a doença atua causando degeneração da memória, do raciocínio e da coordenação motora”, frisa Áurea.

Conforme a fisioterapeuta, para evitar a progressão e as limitações das duas doenças, o ideal é buscar um diagnóstico cada vez mais precoce. “Por serem doenças genéticas, quanto melhor a qualidade de vida, mais tempo se poderá atrasar seu desenvolvimento, sendo que o diagnóstico precoce é feito somente com avaliação física. O Alzheimer é muito confundido com a demência do envelhecimento, que todos nós um dia poderemos desencadear, através do esquecimento, que é algo normal da idade avançada.

É sempre bom, porém, buscar o diagnóstico objetivo de um profissional”, completa.

Fonte: 
Jornal da Manhã / Redação Benefício Saúde.com
Dra. Áurea Gonçalves Ferreira

Consultoria de Beneficios, Consultoria em Saude Suplementar, Plano de Saude Empresarial, Plano Odontologico Empresarial, Beneficio Saude, Assessoria em plano de saude, Assessoria em beneficios, Beneficios Empresariais, Beneficio de RH, Beneficios de Recursos Humanos