Current Zoom: 100%

Login BeneficioSaude.com

Apneia afeta 30% da população brasileira, mas tem tratamento

Apneia afeta 30% da população brasileira, mas tem tratamento

Estatísticas demonstram que, hoje, em torno de 15% dos brasileiros sofrem com distúrbios do sono e insônia, sendo que um número significativo dessa população desconhece as causas desse problema, que se desenvolve lentamente, provocando importante perda da qualidade de vida.

Aliás, durante muito tempo, acreditou-se que o ronco era sinal de bom sono, mas, a partir de pesquisas realizadas na década de 80, descobriu-se que é exatamente o contrário. Aliás, indivíduos que roncam estão mais sujeitos a sofrer derrame cerebral, infarto do miocárdio, entre outras alterações do organismo.

Atualmente, são inúmeras as técnicas utilizadas para minimizar o desconforto gerador da insônia, segundo a fisioterapeuta Pérola Andrade. “Os estudos dos distúrbios respiratórios do sono, roncos e apneia do sono tornaram-se imperativos nos dias atuais, uma vez que esses problemas estão se tornando cada vez mais comuns na população e suas consequências podem prejudicar a qualidade de vida do indivíduo.

A síndrome da apneia obstrutiva do sono é uma doença crônica, progressiva, incapacitante, com alta mortalidade e morbidade cardiovascular. É caracterizada por episódios recorrentes de colabamento das estruturas que compõem a via aérea superior, ocorrendo obstrução parcial ou total à passagem do ar durante o sono”, explica.

A especialista destaca que o ronco, na verdade, constitui a queixa principal da síndrome da apneia, mas nem todo roncador apresenta o problema. “Além do ronco, a síndrome tem como consequência a sonolência excessiva, o risco de acidente de trabalho e de trânsito, déficit cognitivo, alterações de humor, dor de cabeça matinal, hipertensão, ataque cardíaco, obesidade e diabetes, que comprometem a saúde, a qualidade de vida e a taxa de sobrevida dos pacientes”, alerta a fisioterapeuta.

Pérola Andrade esclarece ainda que a relação da apneia com outras doenças pode ser explicada de várias formas. “Um dos aspectos é que, quando a pessoa dorme mal, seu sistema nervoso fica hiperestimulado e lança mais adrenalina, o que provoca o aumento da pressão arterial. 

A hipertensão está presente em 70 a 90% dos portadores da apneia do sono”, frisa.

Além disso, estudos mostram que 60% das vítimas de AVC ou derrame têm apneia do sono, o que dá uma ideia das consequências do problema para o organismo. “O diagnóstico desta síndrome é feito através do exame clínico e pela polissonografia, que indica o grau de gravidade da patologia.

É classificada em leve, moderada ou grave, de acordo com os índices de apneia, como cessação completa, e hipopneia ou redução por hora de sono”, informa a especialista.

Fonte: 
Jornal da Manhã / Redação Benefício Saúde.com
Dra. Pérola Andrade

Consultoria de Beneficios, Consultoria em Saude Suplementar, Plano de Saude Empresarial, Plano Odontologico Empresarial, Beneficio Saude, Assessoria em plano de saude, Assessoria em beneficios, Beneficios Empresariais, Beneficio de RH, Beneficios de Recursos Humanos